terça-feira, 1 de novembro de 2011

Rhodiola rosea - RAIZ DE OURO PARA O DESEMPENHO MENTAL

Planta popular na medicina tradicional dos países da Europa Oriental e da Ásia aumenta a resistência  geral aos agentes físicos, químicos e biológicos do  estresse.  Estimula o sistema nervoso, diminui a depressão, melhora o desempenho no trabalho, a fadiga e evita náuseas em altitudes elevadas e  melhora o desempenho atlético. Planta estudada na Rússia e na Escandinávia por mais de 35 anos.

Indicações

- Estresse, 
- Fadiga crônica;
- Depressão;
- Ansiedade;
- Memória;
- Concentração;
- Ajuda a combater as enxaquecas;
- Melhora a circulação cerebral, facilita o aporte de oxigênio ao cérebro;
- Ligeiros efeitos benéficos na esquizofrenia e Parkinson. 


Planta adaptogénica (ajuda a aumentar a resistência do organismo a vários tipos de situações adversas).Nativa da Rússia e da Ásia, onde é usada há mais de 3 mil anos, devido ao fato de, tradicionalmente, se acreditar que conferia longevidade. Em 1931, o Dr. L. Utkin, um botânico e
nutricionista russo, realizaram inúmeras pesquisas chegaram à conclusão que ajudava a
aumentar a potência sexual. Nas décadas seguintes, descobriu-se que a rhodiola auxiliava a
aumentar as resistências naturais do organismo face ao estresse.

Suas propriedades adaptogénicas, ajudam a aumentar a tolerância aos vários tipos de estresse
a que estamos sujeitos diariamente (mental, físico, ambiental). A rhodiola contribui para regular
a resposta hormonal do organismo ao estresse, não só pela atuação nas glândulas supra-renais,
mas também no hipotálamo. Além disto, tem um efeito protetor dos neurotransmissores
(serotonina e dopamina), aumentando a sua atividade, por inibição da sua destruição enzimática
e prevenindo a sua diminuição, causada pela excessiva liberação dos hormônios do estresse.

No que se diz respeito aos níveis de serotonina, vários estudos demonstram que, através da
rhodiola, estes podem ser aumentados em cerca de 30%. Rhodiola aumenta ainda o transporte
dos precursores da serotonina (triptofano e 5-HTP).

Desde há muito que a rhodiola é utilizada como tônico sexual masculino e, de acordo com
estudos, verificou-se que possui em alguns casos um efeito terapêutico benéfico em
determinadas disfunções sexuais, como ejaculação precoce ou falta de ereção. Os vários
estudos realizados sugerem ainda que a rhodiola atua beneficamente sobre o sistema
imunológico, sendo por isso recomendada em estados de convalescença.

Posologia
- Uma ou duas cápsulas contendo 100mg do extrato devem ser ingeridas ao dia. Uma cápsula sempre deve ser tomada pela manhã; no caso de duas cápsulas ao dia, uma deve ser ingerida pela manhã e outra à tarde. 
- A quantidade de extrato a ser ingerido pode ser aumentada para 200mg três vezes ao dia, se necessário. 
- Uma quantidade diária igual ou superior a 1.000mg do extrato de  R. rosea é considerada alta.

Associações
Os produtos a base de Rhodiola rosea comercializados no mercado associam-na
com L-treonina, Valeriana (Valeriana officinalis), Marapuama (Ptychopetalum
olacoides), Saw Palmetto (Serenoa repens), Grape Seed (Vitis vinifera) Damiana
(Turnera diffusa) e Cayenne (Cayenne pepper). A Rhodiola também pode ser
combinada com extratos exóticos da Europa oriental  e da Ásia, a saber, Ginseng
Siberiano (Eleutherococcus senticosus), O Mi Cha (Schizandra chinensis), Maral Root
(Leuzeae carthamoides), Tongkat (Eurycoma longifólia), Suo Yang (Cynomorium
songaricum) e Kwaopet (Butea superba).

Contra-indicação
A Rhodiola é contra-indicada nos estados de excitação.

Informações Complementares
A Rhodiola rosea influenciou a atividades da alfa-amilase em 78% no plasma de
camundongos no estudo de Kobayashi  et al (2003). Isto sugere um potencial da
Rhodiola nos tratamentos de controle do peso, sendo necessários outros estudos para
confirmar sua efetividade.

Saiba mais em: www.rhodiola.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário